Lages promove pela primeira vez a Semana do Rock Catarinense

Lages promove pela primeira vez a Semana do Rock Catarinense

No sábado as apresentações serão no Centro Cultural Vidal Ramos (Colégio Rosa), das 15h às 21h30, e no domingo na concha acústica da Praça Joca Neves, das 13h às 19h 

Uma programação que traz o que há de melhor na música produzida no Estado, com shows, documentários, bate-papos e diversidade de ritmos. É a sétima edição da Semana do Rock Catarinense e a primeira vez que o evento sobe a Serra. Lages terá dois espetáculos, neste sábado e domingo (20 e 21 de julho), totalizando 15 bandas, todas lageanas e autorais. A entrada é livre e não há restrições de idade para comparecer.

A Fundação Cultural de Lages (FCL), juntamente com o Serviço Social do Comércio (Sesc), são apoiadores do evento, que faz parte do Festival de Inverno Serra Catarina. No sábado as apresentações serão no Centro Cultural Vidal Ramos (Colégio Rosa), das 15h às 21h30, e no domingo na concha acústica da Praça Joca Neves, das 13h às 19h.

Este ano, o evento que visa celebrar a produção autoral em Santa Catarina, terá um mês de duração – com ações de 2 de julho a 2 de agosto. A grande novidade é a descentralização da SRC para outras regiões do Estado. Além de Lages, a programação conta com eventos também na Grande Florianópolis (São José e Florianópolis), em Joinville, Criciúma, Urussanga, passando também pelo Vale do Itajaí, na cidade de Brusque.

Em Lages, o agente cultural Thomas Michel Antunes, assumiu o compromisso de organizar o evento, pioneiro na região serrana. “O rock sempre foi forte em Lages, apesar da cultura bastante tradicionalista. Temos bandas conhecidas até nacionalmente, como o Orquídea Negra e bares voltados ao estilo. Serão 15 bandas autorais, temos bastante gente acreditando num nicho de mercado que está um pouco desacreditado, mas que ainda tem muitas pessoas apaixonadas”, diz.

Levar o rock para praças públicas e o consumo da cultura, gratuitamente, é um dos propósitos do evento. “A Joca Neves e o Colégio Rosa são dois espaços que devem respirar cultura, e os lageanos merecem ter acesso à arte produzida na cidade”, aponta Thomas.

Lageanos apaixonados pelo rock

O Rock’n Roll como figura de linguagem é um movimento que ultrapassa estereótipos. Para o coordenador estadual do SRC, o produtor cultural, Geraldo Borges, a paixão pela música vai muito além, podendo estar no rap, no reggae, no erudito ou uma infinidade de ritmos e estilos. “Temos o compromisso de fazer com que esse movimento esteja cada vez mais vivo, através de eventos e ações como esta”, diz.

Para Thomas, o rock teve uma mudança de perfil, com alguns estilos híbridos, mas a grande sacada é promover a música autoral. “O rock é eterno e vemos muito isso quando apreciadores lotam os eventos voltados ao estilo. Nossa luta é promover novos artistas, porque infelizmente nossos grandes medalhões do rock não estão mais aqui ou logo nos deixarão”, afirma.

Dentre as quinze bandas que se apresentarão no evento, Saturno Alice esperava por uma oportunidade como esta. “O público esta cada dia mais carente de arte. Através de eventos como este conseguimos muito mais do que show de bandas, mas a união dos músicos, a troca de ideias e a possibilidade de contato entre artistas além das mídias sociais. Temos músicos ótimos na cidade, então será um momento histórico para nós”, comenta o baterista da Saturno, Mauricio do Carmo.

Para a Groove Haze, a importância deste circuito que está em sua sétima edição consiste em reafirmar que o rock em, todas as suas vertentes, não morreu, pelo contrário, ainda está pulsante. “Basta percebermos o espectro de bandas que o próprio evento reuniu, abrangendo musicistas de todas as idades e ideologias. O rock está ligado à força de expressão, e por ser uma fatia da nossa cultura musical que por si dentre as sete artes é a que mais está presente no cotidiano não poderia estar fadado ao obsoleto. Acredito plenamente que o rock já existia muito antes de incorporar-se junto à música”, afirma o guitarrista da banda, Arthur Jutel.

Evento ganha proporções maiores

A Semana do Rock Catarinense surgiu em 2012, com o propósito de comemorar o Dia Mundial do Rock (13 de julho), com apenas quatro shows, e hoje alcança regiões dos quatro cantos do Estado e participação de mais de 40 bandas autorais. Para o coordenador estadual do evento, Geraldo Borges, a ideia é criar uma “rota” onde haveria a disseminação da cultura também em outras regiões, além da Grande Florianópolis. “Por todo Estado, inclusive Lages, existem muitas bandas de qualidade que procuram por oportunidades como esta. Assumimos este compromisso imprescindível para que deixassem essa leitura de uma estética mais urbana em todas as regiões”, comenta Geraldo.

Programação:

Sábado (20/07) das 15h às 21h30, no Centro Cultural Vidal Ramos (Colégio Rosa):

Bandas: 

  • Guanxuma
  • Tomate Maravilha
  • Saturno Alice
  • Groove Haze
  • Mandíbulla Reggae
  • Drops e Rock In Roll
  • Blodyhell Boys
  • Curto Circuito

Domingo (21/07), das 13h às 19h, na Praça Joca Neves Bandas:

  • 4º Elemento
  • LirouBói 235
  • José Cardoso
  • Catarse
  • Cártamo
  • Acidemia
  • Spiritual Devastation

Fotos: Divulgação

Fonte: Prefeitura Municpal de Lages

Galeria

Veja também
 34° Encontro de Apicultores e Meliponicultores foi sucesso em São Joaquim 34° Encontro de Apicultores e Meliponicultores foi sucesso em São Joaquim
19 de agosto de 2019
Galeria de Arte da Villa Francioni, uma atração a mais na Serra Catarinense Galeria de Arte da Villa Francioni, uma atração a mais na Serra Catarinense
15 de agosto de 2019